Empresas

Através do Programa de Responsabilidade Social Corporativo a Eurofred estabelece parceria com Médicos Sem Fronteiras e compensa pegada de CO2


·       Eurofred estabelece parceria com a ONG Médicos Sem Fronteiras, apoiando em especial o seu Fundo de Emergências. 

·       Esta colaboração permitirá à organização entregar kits de higiene básicos a 11.232 pessoas deslocadas ou refugiadas e dispor do equipamento e medicamento necessários para realizar 43 cirurgias traumatológicas a feridos de guerra.

·       Orientada para a sustentabilidade, a eficiência energética e a redução da pegada de CO2 a Eurofred reflorestou mais de 87 hectares em Espanha, Portugal e França, num total de 70 700 árvores e que absorverão 4.523,28 toneladas de CO2

A Eurofred, empresa com mais de 50 anos de experiência que se consolidou como um parceiro para todos os profissionais que necessitam de uma solução integral em climatização, aquecimento e qualidade do ar, anunciou que o catálogo de Climatização da Fujitsu para 2019, através do seu Programa de Responsabilidade Social Corporativo (RSC) estabeleceu uma parceria com a ONG Médicos Sem Fronteiras, especialmente pensado para responder de forma imediata às situações humanitárias mais urgentes em todo o mundo e também deu continuidade ao seu projeto de repovoação florestal de zonas queimadas, com o intuito de compensar em 100% as suas emissões de CO2 nos países onde opera.

Cada vez são mais as pessoas vítimas diretas de crises humanitárias, as populações presas em zonas de conflito, os refugiados e deslocados. Os Médicos Sem Fronteiras trabalham há mais de 40 anos para dar resposta médica imediata a qualquer emergência que possa surgir, onde quer que aconteça. Uma peça fundamental do modelo dos Médicos Sem Fronteiras é o Fundo de Emergências, uma dotação reservada no orçamento geral da organização que lhe permite cobrir os gastos de situações de emergência que vão surgindo ao longo do ano e que requerem uma atuação imediata sem ter que esperar para receber fundos adicionais. 

Neste sentido, a colaboração da Eurofred com o Fundo de Emergências dos Médicos Sem Fronteiras permitirá às equipas de emergências da organização entregar kits de higiene básica a 11.232 pessoas deslocadas, que garantirão que as famílias tenham condições mínimas de higiene, o que tornará a sua chegada mais suportável e acolhedora aos campos de refugiados e contribuirão para melhorar a salubridade destes locais. As equipas de emergência também terão disponível equipamentos e medicamentos necessários para realizar 43 cirurgias traumatológicas gratuitas a feridos de guerra. 

Em 2018, o Fundo de Emergências dos Médicos sem Fronteiras ascendeu a mais de 46 milhões de euros, com os quais a organização pode atender quase um milhão de refugiados rohingyas que sobreviveram no sul do Bangladesh; responder ao recente surto de Ébola da República Democrática do Congo; reforçar os equipamentos médicos deslocados para Gaza; dar apoio à população do Yemen e vacinar contra o sarampo milhares de crianças da República Centroafricana. O Fundo de Emergências permitiu à ONG enviar rapidamente as suas equipas nas zonas de difícil acesso da ilha de Célebes, Indonesia, depois do terremoto e fornecer à população bens de primeira necessidade, água potável e cuidados médicos. 

“Na Eurofred, em linha com o nosso RSC, acreditamos que dar resposta às necessidades das pessoas que mais sofrem é responsabilidade de todos,” refere Nathalia Acevedo, Diretora de Comunicação e RSC da Eurofred. “O trabalho que os Médicos Sem Fronteiras realizam no solo é louvável, como também imprescindível e é nossa obrigação apoiá-los em tudo o que podermos para que possam continuar a salvar vidas quando é mais necessário”.

No que se refere ao seu projeto de reflorestação, a Eurofred é a primeira empresa a compensar em 100% as suas emissões e a única do seu setor que calcula e reduz as suas emissões de CO2. Um compromisso com o meio ambiente que se estende a Espanha, Portugal e França e num futuro próximo a Itália e Chile.

Todas as atividades empresariais emitem COpara a atmosfera – explica Bernat Martín, Diretor de Operações e Qualidade do Grupo Eurofred- é algo muito difícil de evitar, mas podemos minimizar o impacto calculando o CO2 que se emite, reduzindo o volume destas emissões e compensando-as; e isto é o que estamos a fazer na Eurofred”.

A Eurofred já reflorestou mais de 63 hectares de zonas queimadas em Espanha, com 61.700 árvores, 3,62 hectares em Portugal com 6.000 árvores e 6 hectares com 3.000 árvores em França. No total, 87 hectares reflorestados com 70.700 árvores que absorverão 4.523,28 toneladas de CO2. É importante salientar que, no mínimo durante 20 anos, a Eurofred fará o seguimento exaustivo de todas as suas plantações, responsabilizando-se da sua manutenção e crescimento. Tudo isto, para garantir o perfeito desenvolvimento do projeto e conseguir que em 100% das reflorestações se atinjam os objetivos previstos.


Texto da responsabilidade da empresa.

Fonte: SMart Comunicação

Related posts

This website uses cookies to improve your experience. Aceitar Ler mais

X